Artigos

Jogo Individual - Ações e Mecanismos

Marquinhos Xavier - Treinador do Toledo Futsal / PR
Publicado em 25 de maio de 2007

Desenvolvimento dos Processos e Ações Individuais:



Se fosse para definir as ações individuais sob meu ponto de vista e de como “eu” compreendo este difícil mecanismo, diria que existem três processos complexos dentro deste gigantesco sistema, ações inteiramente integradas e que fazem toda a diferença na qualidade individual de um atleta.

Dividi-las-ia desta forma e nesta ordem:

1 Analise/Recepção

2 Controle/Seleção

3 Decisão/Ação final

No meu entendimento os componentes individuais que formam as qualidades do atleta passam necessariamente por estes três processos.

Em alguns atletas podem também ocorrer dissociação dos processos, tornando-o frágil e previsível em algum ponto.

Estabelecer uma prioridade seria como interromper uma mecânica muito bem sincronizada e que forma uma ação conjunta de movimentos, exigindo do atleta, fundamentos bem aprimorados, concentração e equilíbrio emocional.

Para exemplificar melhor, poderia dizer que no momento em que a bola vem em direção deste atleta, uma espécie de “botão” è acionado e fará com que este mecanismo seja executado do seu inicio ao termino, sem interrupções.

Imaginamos então o desastroso final deste processo, ou o belíssimo desfeche desta ação, tudo estará diretamente ligado à forma de preparação destes processos.

Por este motivo muitas vezes o atleta tem dificuldades de executar um perfeito desfeche para esta ação, que na sua grande maioria não tem correlação com os movimentos motores, mais sim com a preparação mental, equilíbrio emocional e autocontrole.

Acredito que o bom desenvolvimento de um atleta esta inteiramente ligada à forma com que ele se prepara ou é preparado para executar estas ações.

Já há algum tempo deixamos de usar o treinamento apenas como forma de condicionar fisicamente e coordenativamente nossos atletas, estamos no estagio do aperfeiçoamento mental, capacitando-os para momentos decisivos de uma partida.

É no campo emocional que verificamos os maiores problemas ou as melhores soluções, pois estar preparado para executar movimentos complexos sob uma forte pressão psicológica não é tarefa fácil pra nenhum ser humano.

Por este motivo dividi os processos em 3 grupos, e como já mencionado anteriormente os 3 bastante complexos e que tentarei de forma objetiva resumi-los para facilitar o entendimento do “meu” ponto de vista.

Inicio então com o primeiro processo denominado Analise/Recepção, momento em que o atleta esta sem a posse da bola e que necessariamente precisa em frações de segundos “analisar”:

1 Espaços;

2 Distancias;

3 Local;

4 Aproximações e etc...

Esta rápida analise antes de ter a posse da bola, ira contribuir para o desenvolvimento da ação final.

A Recepção, processo agregado a analise do jogo é o momento onde o atleta recebe a posse, em boas ou, más condições, dependendo de como ele elaborou seu primeiro processo, e conseqüentemente o próximo pode estar comprometido ou não em função do mesmo.

Lembro que estamos falando do jogo individual, em um esporte coletivo, pois no momento em que este atleta executa seu primeiro processo (analise/recepção), o que lhe passou a bola estará executando seu terceiro processo (decisão/ação final), e isso tem interferência direta na coletividade, mais é um assunto para uma próxima oportunidade, senão fugimos do objetivo principal do tema.

Passamos então ao segundo processo Controle/Seleção, momento em que o atleta superou seu primeiro processo. É neste momento em que o atleta ira checar sua primeira analise verificar as alterações ocorridas e perseguir. Neste momento, ele executa um controle da posse de bola sem estar “centrado na mesma”, pois se a bola passar a ser o foco principal certamente com a velocidade do jogo e as mudanças, o atleta perdera a referencia, dificultando assim a seleção do seu passe, e interferindo no próximo processo.

Apos ter o controle e a seleção das opções disponíveis a ele, encaminha-se o terceiro processo.

O processo de Decisão/Ação final é neste momento que ele deve estar preparado para fazer sua escolha apos ter executado os dois primeiros processos devera decidir o futuro desta ação que poderá ser:

1 Continuidade do movimento;

2 Ação técnica individual (ex: um drible);

3 Reestruturação do jogo (ex: reinicio ou envolvimento do goleiro);

4 Interromper o processo de posse de bola (ex: uma finalização).

Apenas alguns exemplos, outras ações poderão ser denominadas nesta lista.

Torna-se fascinante quando recordamos de que tudo isso é executado em segundos, é um grande mecanismo que faz do Futsal um jogo extremamente excitante.

Os processos são contínuos e em muitos casos são interrompidos no seu desenvolvimento (construção e reconstrução).

Os conjuntos de ações individuais formam o sucesso coletivo, a elaboração, aperfeiçoamento e evolução podem e devem ser constantemente praticadas nas sessões de treinamento, um trabalho bastante desgastante e prazeroso, um trabalho de correção.

Sendo assim, é sempre importante criar possibilidades para que o atleta habitue-se a este conjunto de ações, desenvolvendo sua capacidade de agir sob pressão, reagir às adversidades e encontrar soluções criativas para momentos decisivos.

Sucesso e um excelente trabalho à todos....

 


  Artigos  |  Curso Presencial  | Cursos OnLine  | Estágios para Treinadores  | Consultoria em Futsal  | Shop Futsal | Contato  |  

 
  Copyright 2015 Project Multimidia. Todos os direitos reservados.