Artigos

TREINAMENTO TATICO, REALIDADE OU FANTASIA

Professor Rogério Rosa Inácio – Criciúma /SC
Publicado em 12 de dezembro de 2008

Partindo de uma analise de observação de matérias de jornal, radio, televisão e comentaristas, o treinamento tático, tem sido treinado intensamente pelos técnicos com suas equipes, e muitas vezes fator de definição de titulares e reservas.



Muitos são os posicionamentos táticos, distribuições numéricas dentro do campo, linhas de defesa e de ataque, tudo muito bonito, mas sem nenhuma preocupação no real significado da palavra tática. Tudo feito a partir do que os técnicos tem visto na Europa, lido em livros sobre o futebol, palestras de outros técnicos e outras fontes. Ate ai tudo certo, o acesso de todos os técnicos são os mesmos.



Bem, continuando as analises, assistindo jogos nos estádios, pela televisão, tudo que se pensa que esta sendo treinado, não esta sendo possível ver na pratica, mesmo que não se tenha exatamente as informações do que esta sendo treinado. Apenas temos informações de posicionamento através da distribuição numérica, por exemplo, 1-3-5-2, ou 1-4-4-2, e outros, que tem sido menos usado pelos técnicos brasileiros.



A fantasia de que a equipe esta organizada, fica claro quando nos deparamos nos jogos com aqueles chutões dos goleiros, ou aquelas tentativas de lançamentos longos dos zagueiros. O que tem de tática nisso, onde esta a movimentação dos jogadores para envolver a defesa adversária, ou então para desarmar o ataque adversário.



Como podemos identificar o que esta sendo treinado, como poderemos ver o jogo conduzido pela equipe, da forma que vem treinando durante a semana. Vamos lembrar, mesmo que não se tenha informação mais detalhada do que a equipe esta treinando, fica claro a falta de entendimento dos jogadores no que diz respeito à forma da sua equipe jogar.



O que pode ser observado na realidade, e o posicionamento parado dos jogadores, sem saber com certeza o que fazer no momento seguinte após ter a posse de bola. Pra onde fazer o passe, pra onde correr sem a bola, tudo fica por conta da decisão do jogador, daí a qualidade individual vai fazer a diferença, e quem tiver os melhores jogadores vai ter mais chance de ganhar o jogo. O trabalho do técnico fica a mercê dos atletas, nada parte das ordens táticas para o individual, e sim do individual para os acertos e erros.



Quem esta mau individualmente sai do jogo, e a contribuição tática e descartada. O erro dos jogadores não são só por falta de qualidade individual, mas podemos atribuir também a falta de uma predeterminada movimentação de ataque e defesa.



Com toda certeza atribui-se a essa falta de qualidade tática aos treinamentos, que na realidade não esta sendo feita de maneira que os jogadores tenham todo entendimento da proposta de jogo da sua equipe. Durante todo tempo de jogo, pouco se observa a organização tática com movimentações dos jogadores na procura de envolver o adversário e conseguir fazer gol. Na realidade muito tempo se observa os goleiros dando chutões pra frente, e uma briga pela segunda bola, e a partir daí uma sucessão de passes errados, um ganha e perde, deixando o jogo sem nenhuma qualidade, correria pra lá e pra cá, e quem aproveita as oportunidades surgidas ganha o jogo.



Usando como referencia a nossa seleção brasileira, quando os jogadores não estão bem individualmente e não desequilibram para ganhar os jogos, as analises que escutamos, são de um péssimo futebol, que o time jogou muito mal, que esta sem padrão de jogo. Convenhamos, quando que o Brasil tem mostrado jogo de equipe, padrão de jogo. Tudo isso fica por conta da nossa capacidade de improvisação, e os treinamentos táticos pura fantasia.

 


  Artigos  |  Curso Presencial  | Cursos OnLine  | Estágios para Treinadores  | Consultoria em Futsal  | Shop Futsal | Contato  |  

 
  Copyright 2015 Project Multimidia. Todos os direitos reservados.