Artigos

Aula de futsal do Jaraguá
Liderada pelo astro Falcão, equipe catarinense é pentacampeã da Taça Brasil


O GLOBO - Cláudio Nogueira
Publicado em 05 de março de 2007

Dos mestres do futsal, com carinho, uma aula de habilidade, tática, velocidade e conjunto. Foi assim que a Malwee/Jaraguá (SC) goleou o Poker/ Petrópolis/Ikinha (RJ) por 6 a 1, ontem à tarde, em Teresópolis, para conquistar o pentacampeonato da Taça Brasil - competição que reúne todos os campeões estaduais. A equipe catarinense é a primeira a ganhar por cinco anos seguidos.

Cerca de cinco mil pessoas lotaram o Ginásio Pedro Jahara. Embora a torcida petropolitana tenha comparecido, o Jaraguá parecia em casa, tal o apoio do público, extasiado com a aula de Falcão & Cia.

Torcida enlouquece “Falcão é de Terê”

Um dos grandes momentos para a torcida local aconteceu quando Falcão, ao marcar o quinto gol, acariciou, numa placa de publicidade, o nome Teresópolis. A torcida retribuiu em coro: "Falcão é de Terê!" - Isso não tem preço. Nossa equipe é bem recebida assim, em qualquer Lugar. A torcida fez com que nos sentíssemos em casa - disse o melhor jogador do mundo.

Cercado por fãs, Falcão comentou que a tática fora igual a da semifinal com o Universo, de marcar por pressão e fazer o rival correr: - Decidimos no primeiro tempo (4 a 0). Nem esperava a artilharia, mas cheguei aos dez gols (igual a Andrezinho, do Abílio Nery).

A vitória e o titulo começaram pelas mãos e pelos pés do goleiro Tiago. Logo aos 4ml6s, ele invadiu a meia-quadra do Petrópolis e chutou sem marcação. O goleiro Fernandinho soltou a bomba e Tiago aproveitou o rebote: l a 0. No segundo, Tiago repôs a bola com as mãos, lançando Willian: 2 a 0, aos 10m10s.

Além disso, Tiago fechou o seu gol.

- Estou alegre por ter sido campeão.

Mas o resultado não condiz com o que foi jogo, muito difícil.

Sinceramente, não treino tanto chutar a gol. Treino mais os passes. Mas o Petropolis recuou muito, e pude finalizar - declarou o goleiro.

O treinador Fernando Ferreti usou de novo o revezamento de jogadores, sem que o ritmo se alterasse. O Jaraguá chegou aos 3 a 0, com Márcio, aos 1m41s, e aos 4 a 0 com Jean, a 36s do intervalo.

O Jaraguá chegou aos 3 a 0, com Marcelo, aos 12m41s, e aos 4 a 0 com Jean, a 36s do intervalo.

- Não se espera um 6 a 1 numa final ou 5 a 2 numa semifinal (anteontem contra o Universo). A equipe entrou muito determinada - analisou o técnico Ferretti, que ganhou sua oitava Taça Brasil. - Nossa equipe não tem cinco, mas, sim, nove titulares - declarou o carioca, que elogiou o adversário Petrópolis por manter o elenco.

Na segunda etapa, enquanto Jaraguá administrava a vantagem, Petrópolis usou até o ala Jorginho como goleiro-linha. Diminuiu a 3m20s do fim, com Alvim. Mas em seguida, Marcinho, do Petrópolis, foi expulso. Diante do rival desesperado, o Jaraguá ampliou com Falcão a 2m02s e a 1m18s do final.

Petrópolis: Fernandinho, Vinícius, Marcinho, Café e Mancha. Entraram Régis, Eli, Alvim, Bruninho, Jorginho e Bartolo. Jaraguá: Tiago, Chico, Valdin, Falcão e Márcio. Entraram Xande, Leco, Jean e Willian.



 


  Artigos  |  Curso Presencial  | Cursos OnLine  | Estágios para Treinadores  | Consultoria em Futsal  | Shop Futsal | Contato  |  

 
  Copyright 2015 Project Multimidia. Todos os direitos reservados.